Renda Fixa

Protegendo sua Carteira


Brasil, Itália, Espanha, Alemanha e França. Seleções campeãs mundiais nas últimas 5 copas do mundo. O que todas tinham em comum? Primeiro, um ataque formidável e talentoso. Segundo, um meio de campo preciso nos passes com o ataque e defesa. E por último, mas não menos importante, uma defesa que fazia seu trabalho incansavelmente.

O futebol moderno mudou e a forma de administrar os times e os campeonatos também. Por mais que tem pessoas que não gostem, é a realidade. O time precisa ser completo, junto com uma administração séria.

A analogia com seus investimentos é a mesma. A maneira de se investir mudou e o mercado financeiro brasileiro também. Por mais que ainda existem pessoas a procura do 1% ao mês somente com renda fixa, dificilmente isto será realidade. O contexto econômico do país e as taxas de juros baixas vieram para ficar, e outros produtos estão se destacando.

Portanto, hoje, a maneira como sua carteira de investimentos “ataca” e “defende” precisa de mudanças. Ela precisa ser completa, junto com um profissional capacitado ao lado. Afinal, ninguém quer sofrer um contra-ataque e levar um gol aos 45 minutos do segundo tempo, não é mesmo?

Com o objetivo de obter rentabilidades maiores atualmente, é preciso considerar a exposição em uma variedade de ativos diferentes. A bolsa, fundos multimercados e imobiliários fazem parte desta variedade e são altamente procurados pelos investidores.

Entretanto, a mudança no foco dos nossos investimentos, principalmente aquela da qual nos encontramos hoje, com foco grande para renda variável, envolve adoção a uma proporção maior de riscos.

Existem cinco principais riscos que você, investidor, precisa tomar cuidado e se proteger dentro do mercado financeiro:

  • Risco de Mercado: remete-se a variação de preços dos os ativos e entre eles;
  • Risco de Liquidez: denomina-se da facilidade ou dificuldade de conseguir comprar ou vender um ativo no mercado;
  • Risco de Crédito: é a probabilidade do devedor não honrar os compromissos com o credores; 
  • Risco Operacional: o processo de administração, verificação, aplicação dos recursos pode apresentar falhas ou erros inesperados e impactar os investimentos;
  • Risco Legal: envolve a aplicação das legislações vigentes dentro do mercado financeiro.

Para proteger seus ativos dos riscos acima, algumas medidas podem ser feitas para proteger a sua carteira. O objetivo de uma proteção não é aumento de rentabilidade, mas sim amortecer grandes quedas e controlar uma alta sem freio. Portanto, o objetivo não é alocar grandes quantidades de recursos, mas sim uma porcentagem justa para proteção. As melhores maneiras de proteger seus investimentos são:

Respeite seu perfil de risco:

Essa frase pode ser “chover no molhado” para muitos, mas é, se praticado seriamente, fator importantíssimo dentro dos seus investimentos. A economia comportamental se mostrou um campo de estudo valiosíssimo nos últimos anos e entender como se comportar durante diferentes momentos do mercado é importante.

Diversifique seus ativos de forma estratégica:

A diversificação está presente nos investimentos para nos ajudar. Entretanto, diversificação em si não é sinônimo de rentabilidade e gestão de riscos. É necessário uma diversificação em diferentes classes de ativos e também dentro da mesma classe de ativos ter uma diferenciação mais específica. Ela precisa fazer sentido!

A diversificação estratégica fará com que os ativos da sua carteira tenham uma correlação diferente entre eles. Assim, quando um ativo está indo mal, o outro está indo bem, mantendo a volatilidade e o rendimento da sua carteira em níveis aceitáveis. 

Uma carteira com renda variável precisa ter uma reserva em renda fixa. E esta parcela em renda fixa, por exemplo, precisa estar separada em diferentes tipos de ativos, como emissões bancárias, títulos de crédito corporativos, tesouro direto, diferentes remunerações e prazos e outros.

Invista em câmbio:

O investimento em câmbio com o objetivo de rentabilizar seus investimentos não é uma ideia muito aconselhável. É um mercado com muitas imprevisibilidades. Mas usar, por exemplo, a compra de dólares para proteger sua carteira é uma estratégia adotada por muitos investidores, inclusive em tempos de instabilidade política-econômica. Portanto, a quantidade de recursos destinados em câmbio ou ativos expostos a câmbio não deve ser grande.

O dólar ou qualquer outra moeda são ativos já conhecidos por proteção e ajudarão a proteger seus ativos em momentos de instabilidade política e econômicas mundiais e nacionais. Para entender a dinâmica especificamente do dólar, leia este artigo.

Pense no ouro:

O investimento em ouro é um dos meios mais tradicionais para servir como proteção à sua carteira. Ele é um instrumento de hedge comumente usado em diferentes ciclos econômicos e contextos. Historicamente, o ouro é negociado como moeda de troca e possui um valor intrínseco que se mantém até hoje.

Assim seu valor como moeda e reserva de valor fazem ele um ativo muito importante para proteção. Além disso, este ativo traz propriedades químicas, mercadológicas e de escassez que o valorizam dentro do mercado nos dias atuais. São inúmeras maneiras para investir em ouro, através de contratos futuros na bolsa, comprando a matéria prima fisicamente e por meio de fundos de investimentos.

Tenha um dinheiro em caixa:

Algumas pessoas acham que ter dinheiro em caixa, ou seja, disponível para uso rápido, é prejudicial para as carteiras de investimento. A grande verdade é que este recurso pode e deverá ser usado rapidamente para capturar oportunidades e bloquear ameaças temporárias, como uma crise. O recurso, que pode variar de 5% a 15% da carteira, é alocado em investimentos com alta liquidez com o objetivo de conseguir captar movimentos específicos. 

Ele ajudará o investidor a ter poder de ação e decidir com uma maior flexibilidade, sem ter que re-alocar outros ativos já presentes dentro da carteira.

Para concluir, a proteção da sua carteira é uma pauta importante ao decidir e montar um portfólio de investimentos. Ela ajudará a controlar a volatilidade e a administrar os riscos apresentados neste texto. Monte um time completo, com atacantes que voltam para marcar e zagueiros que sabem chutar ao gol e assim, seu time sofrerá menos nos diferentes campeonatos que joga. 

Compartilhe esse artigo: