Renda Variável

Tenha medo do Leão


É preciso se preocupar com detalhes e realizar uma declaração levando em consideração todos seus rendimentos em ações e outros ativos. Resumo Webinar 23/05.

Neste sábado, 23/05 foi realizado o webinar "Tenha Medo do Leão", com a presença de David Leite, sócio-fundador da Contabilidade da Bolsa e intermediação de Leonardo Peggau, sócio da BlueTrade Invest.

Alguns principais tópicos foram abordados. Alguns deles foi a famosa "malha fina". Ela acontece de 3 formas: a malha de pagamento - quando não se efetua pagamento de IR obrigatório, a malha de preenchimento de cadastros - informação de dados incorretos na origem de despesas ou receitas, e a malha fiscal - a principal, para quem investe em Bolsa e simplesmente não declara, pois a receita sabe que foi feito este investimento através do "dedo-duro".

Há também a possibilidade de declaração retida caso o declarante tenha recebimentos de aluguéis, ou pensão, ou outros rendimentos recebidos de PF ou PJ, e não declara tais rendimentos.

É importante também a declaração da custódia de ações em que você encerra o período. Nisso, é importante lembrar que os preços das ações a serem lançados é por meio do custo médio ponderado de compra de cada ativo, e não o preço atualizado de mercado.

A Receita conhece suas movimentações, sempre por meio do "dedo-duro" ou recebimento de dividendos. Lembrando que o "dedo-duro" refere-se ao IRRF (Imposto de Renda Retido na Fonte) que é recolhido obrigatóriamente sobre as vendas de operações comuns ou Day-Trade.

No caso de compensação de prejuízos, existem 3 tipos de saldos, onde os mesmos não podem ser misturados e utilizados um com o outro: Operações Normais (ações, opções, ETFs), Day-Trade (ações, opções, ETFs) e Operações em Fundos Imobiliários (normais ou day-trade).

Veja a live completa no link abaixo e tire suas dúvidas.



Você pode enviar suas dúvidas sobre o tema para o e-mail educacao@investientosblue.com.br.

Abra sua conta na BlueTrade e receba todo suporte necessário para suas aplicações na renda variável.

Compartilhe esse artigo: