Renda Fixa

Aí vem o Natal, hora de pensar na ceia e no seu dinheiro!


Sou fã incondicional das festividades de Natal e, principalmente, da ceia. Além da felicidade de encontrar rabanadas em todas as padarias, essa época do ano também traz para mim a infalível lembrança do Dilema do Peru

Proposto pelo acadêmico, filósofo e analista de risco, Nassim Nicholas Taleb, o problema serve para demonstrar o risco de nos apoiarmos cegamente em dados passados para prever o futuro... como faz a maioria dos investidores. 

Taleb pede que se imagine um peru alimentado diária e religiosamente por um açougueiro durante mil dias. Cada dia confirma e reafirma aos departamentos econômico, de gerenciamento de risco e de análise do peru, que aquele humano o adora. 

O tempo passa e cada novo dia traz ainda mais confiança na conclusão dos especialistas. Mas, no dia 1.001... surpresa! É Natal (ou Dia de Ação de Graças, no original americano)!

Prepare-se para as surpresas

Basicamente, a tradução da ideia para seus investimentos é a necessidade de atenção para a possibilidade de surpresas futuras. Quando se analisa ativos para a montagem de um portfólio robusto de investimentos, é obrigatório reservar uma parcela para desafiar aquilo que você acredita. 

A pergunta é: e se estiver errado, o que estaria certo? Que ativo apresenta a famosa descorrelação, isto é, o que sobe quando a carteira cai e vice-versa? 

O investidor pode e deve balancear o tamanho dessa parcela (que geralmente fica em um mínimo de 10%) no portfólio, mas nunca ficar sem. Lembre-se: nunca ficar sem.

O fato é que, de tempos em tempos, estaremos persuadidos por alguma certeza sobre pra que lado o mercado vai se mover. Calcularemos múltiplos (P/L, P/VP, LPA, DY…..), listaremos preços históricos, notaremos coincidências temporais e seremos convencidos por análises matemáticas e históricas. Então projetaremos o futuro com base nesses dados e… surpresa! 

Obviamente, os históricos não deverão ser desprezados. Na verdade, são bons indicativos sobre como determinado ativo reagiu durante situações específicas no passado.

Mas, como diria o famoso prefeito de Sucupira, Odorico Paraguaçu, “o prafrentemente já é outra história”.

Compartilhe esse artigo: